05/02/2022 às 13h00min - Atualizada em 05/02/2022 às 13h05min

Moradores da Barra do Manhuaçu farão manifestação às 14h de hoje (05)

Moradores cobram pagamento de auxílio para os atingidos pela recente enchente.

Agência Minas
Neison Zan
Os moradores da Barra do manhuaçu atingidos pela recente enchente organizaram para hoje (05) uma manifestação às 14h na praça do Bairro para revindicar o pagamento do "Auxílio desabrigado", programa do governo do estado de Minas que será pago aos atingidos por meio de repasses via prefeituras municipais.

Segundo os moradores, não está claro como e quando será feito o pagamento do auxílio pela prefeitura e quais medidas a prefeitura ira tomar para auxiliar as familias atingidas.

Auxílio Desabrigado

O Governo de Minas vai destinar R$ 1.200 por pessoa desabrigada ou desalojada no Estado em decorrência das fortes chuvas. A medida integra o plano Recupera Minas, anunciado no dia 18/1 pelo governador Romeu Zema. O benefício será pago em três parcelas mensais de R$ 400 a partir de fevereiro, totalizando R$ 78 milhões em recursos estaduais e beneficiando mais de 60 mil pessoas.

Mais de 60 mil pessoas receberão, cada uma, R$ 400 em três parcelas a partir de fevereiro; ao todo, ação terá R$ 78 milhões dentro do plano Recupera Minas

Romeu Zema ressaltou a necessidade da ajuda às vítimas. “Vamos criar o auxílio desabrigado, para que, quem teve suas casas destruídas, tenha condições de passar por esse momento tão difícil. Ou seja, uma família de cinco pessoas vai receber R$ 2 mil por mês”, afirmou o governador em coletiva virtual à imprensa.

Benefício

Segundo o secretário-geral do Estado, Mateus Simões, estão contemplados nesse benefício eventual as pessoas registradas como desabrigadas ou desalojadas por seus municípios até 17/1.

 “A operacionalização desse pagamento será feita pelos municípios, porque na lógica legal o controle da população desabrigada e desalojada é feita localmente, então será entregue ao município que deverá entregar às pessoas que estão previamente cadastradas. A data de corte desse benefício foi 17/1, então estão contempladas todas as pessoas desabrigadas e desalojadas até ontem. Os municípios já haviam nos enviado as informações e os dados já superam 60 mil pessoas”, pontuou Simões.


Geladeiras, energia e água

Outras ações para benefício direto da população também estão sendo adotadas pelo governo mineiro, como a doação de 5 mil geladeiras pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). Esses eletrodomésticos serão distribuídos de forma proporcional ao número de famílias de baixa renda de municípios em situação de emergência ou de calamidade pública em decorrência das chuvas e que tenham o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) menor que 0,6.

“A Secretaria de Estado de Desenvolvido Social está acompanhando com a Cemig os critérios que estão sendo utilizados para que a gente atenda o público que mais precisa, substituindo o eletrodoméstico que foi estragado ou destruído”, destacou o secretário-geral.

Também serão adotadas medidas diferenciadas nas tarifas da Cemig e da Copasa nas localidades atingidas, com suspensão da cobrança em alguns casos e parcelamentos de débitos em até 24 vezes.

Plano Recupera Minas

O plano Recupera Minas foi criado após força-tarefa do Estado para mapear os principais danos causados pelas chuvas e criar ações para recuperação dos estragos danos. Ao todo, serão R$ 600 milhões em recursos estaduais.

Os investimentos estaduais estão divididos em três eixos: auxílio às pessoas, apoio aos municípios e infraestrutura estadual. Um quarto eixo será formado por doações da sociedade civil em que o Governo de Minas dará suporte para que o apoio chegue aos municípios e às pessoas atingidas.

Link
Notícias Relacionadas »